Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ai Lopes Lopes

09.05.14

Por que não se vai embora, Senhor Lopes?

Não tem saída. Ou melhor, só tem uma saída, a saída.

António Lopes, o comunista eleito na lista socialista para Presidente da Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital, agora destituído, tem que sair.

Sim, tem que sair. “Tem” e não “tinha”. Não basta já não ser Presidente, tem que sair da Assembleia Municipal.

Quem leu, ou quiser ler, o texto aqui publicado em Janeiro, «Alexandrino leu Churchill?» (http://cashrestozero.blogs.sapo.pt/2014/01/), perceberá melhor o racional da opinião.

Quem ouviu, ou quiser ouvir, o que dissemos na Rádio Boa Nova, já sabe a nossa opinião.

Tudo era evidente, tudo estava anunciado. O tempo trataria de dar luz à saída. E deu!?

Claro que a seguir à desgraçada Assembleia de final de ano, teve lugar a sequência do costume: a paz podre; a maledicência, nas conversas que sempre começam com «vou-lhe dizer isto a si, mas não diga a ninguém», e assim se chega aos almoços, hotéis e afins; por fim, as denúncias de ilegalidades e as ameaças com o tribunal.

Não é uma vergonha, é uma tristeza.

Alexandrino, desta vez, “bateu” de forma certeira em Lopes, quando disse que este não pode querer ser Presidente da Câmara, Presidente da Assembleia e líder da oposição. Não pode.

António Lopes pode mudar de opinião, mudar de objectivo, mudar de gosto e/ou zangar-se. Pode. E como pode também deve… assumir as consequências, sair da Presidência – saiu a mal e mal – e sair da Assembleia.

Porquê? Porque recebeu cerca de oito mil votos para ser poder e não para ser oposição, para “ser” do Partido Socialista e não independente e muito menos comunista, porque naquela Assembleia já não é o Presidente e nunca será «o deputado», será «o destituído»!

António Lopes pode ser oposição como cidadão: nos jornais – até tem um – nas rádios, nas TVs e nas redes sociais. Na Assembleia, não. E cá fora pode dizer, fazer e ser o que bem entender…e Alexandrino e o PS que se cuidem.

Se António Lopes sair perde o lugar, mas ganha o respeito da democracia. Se ficar com o lugar, arrisca-se a um dia nem cadeira ter.

E quem deve ser o novo Presidente da Assembleia?

Bem, seria um acto de génio político e de elevação democrática que José Carlos Alexandrino conseguisse que o promissor Luís Lagos, do CDS-PP, ocupasse o lugar.

Pois, e o PS? O PS deixa?

 

nota: parabéns ao FCOH, de novo campeão e de regresso onde deve competir, nos campeonatos  nacionais de futebol sénior.

 

(publicado no jornal Folha do Centro, em 7 de Maio de 2014)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44

Problemas que vêm com a vitória são mais agradáveis do que os da derrota, mas igualmente difíceis.

Winston Churchill

 

Foi cruel.

Alexandrino preparava-se para ir para o “réveillon” brindar ao epílogo do ano de ouro da sua vida política, quando o seu companheiro de luta, António Lopes, lhe estragou a festa!

Foi amargo o final de 2013 para o professor da Cordinha. As imagens do penoso desconforto são um momento para a história das Assembleias Municipais: o Homem aguentou-se com o desgosto encostado à evocação da honra.

E António Lopes não é um qualquer. Foi um dos grandes obreiros da oposição a Mário Alves, é um comunista que faz gala de o ser, e renovou a conquista da presidência da Assembleia Municipal com uma votação popular esmagadora e histórica, de resto muito próxima dos mais de 8 mil votos conquistados pelo super-maioritário Presidente do Município de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino.

Sim, António Lopes não é um qualquer. Uma tremenda experiência de vida, bom verbo, cultura política, corre em pista própria e o seu traço de personalidade é mais talhado para ser oposição do que para ser poder. Este bater com a porta ao PS vai dar muita dor de cabeça a Alexandrino. Ai vai, vai.

Importa aqui que se recorde uma velha e instrutiva história de Churchill, o velho estadista inglês. Conta-se que certo dia recebeu, na bancada conservadora de Westminster, um jovem deputado do seu partido que tinha acabado de ser eleito pela primeira vez. Virando-se para a bancada oposta, onde se sentam os trabalhistas, o jovem deputado comentou: "é então ali que estão os nossos inimigos". Churchill, com a sua imensa sabedoria, corrigiu-o de imediato: "ali sentam-se os nossos adversários; os nossos inimigos sentam-se ao nosso lado, nesta mesma bancada".

Se Alexandrino não leu uma das muitas e boas biografias de Churchill é bom que o faça, e já. O Inglês é um compêndio político. Está lá tudo.

A vitória eleitoral de Alexandrino foi de tal modo esmagadora que, logo no dia seguinte, parecia ter desencadeado a sensação do “é demasiado”, em muitos sectores da sociedade Oliveirense. Basta ouvir o que se diz nos cafés e nas ruas. O fato da oposição quase ter desaparecido revestiu Alexandrino de um poder absoluto que preocupa muitos. O Presidente é um ser humano e sabe-se que o poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente. Como Churchill explicou os problemas da vitória não são menos complicados do que os outros.

António Lopes, felino, percebeu que tinha aqui uma oportunidade para dar asas á sua natureza contra-poder.

Alexandrino, ao transformar o boletim municipal em jornal e ao ter chamado Henrique Barreto para fazer as “notícias”, terá gerado a gota de água que fez transbordar o copo da afronta do comunista Lopes. É do conhecimento público que a parceria de António Lopes com Henrique Barreto no CBS acabou mal, muito mal.

E agora? Agora “é corrigir o que está mal”, tal como diz em sublime provocação António Lopes.

E quem é que está mal?

 

(Publicado no jornal Folha do Centro, edição de segunda-feira, 20 de Janeiro de 2014)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:03


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2019

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D