Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Somos os tais...

13.09.15

IMG_2985.JPG

… não diga já não! Que não é. Que não é dos tais! Talvez seja…

Vamos às perguntas: Este verão foi às praias fluviais? Foi? Foi mesmo? Ou passou lá, uma vez, para ver se havia lá gente? Foi a S. Gião, a Loriga, a Avô, a Alvôco, só para citar como exemplo as praias por nós frequentadas? Foi?

Então, é ou não é dos tais? Os tais? Sim, os tais, os tais locais que não vão às praias fluviais. É, não é!?

Porque será que sempre que vamos às praias fluviais ficamos com a sensação que quem lá está é de Lisboa, é emigrante, é do Porto, é estrangeiro, é de todo lado, mas não é daqui, não vive aqui, não é local?

Porque será que este verão questionei tanta gente de cá, que não foi lá, que não sabe explicar porque lá não vai e que quando lá passa não pára ou pára pouco?

O concelho de Oliveira do Hospital e a região da beira interior têm praias fluviais que são paraísos de água pura, de silêncio, de verde, de sonho.

As praias fluviais, nos últimos anos, foram alvo de investimento em melhorias, cuidados, acessos, garantias de qualidade e muitas até são vigiadas no verão e, mesmo assim, os locais, continuam os tais que não vão às praias fluviais!

Os de cá lamentam-se do que cá não há, mas quando há não vão lá, não estão cá.

Às vezes vão lá, para ver se há gente lá, e quando não há comentam entre si que não havia gente lá e concluem que não vale a pena ir lá.

Há gente aqui que precisava de um curso intensivo no norte do país, para aprender a gostar do que é seu, do que é ser daqui, o que é ser bairrista, o que é viver a sua terra, o que é ser da sua região.

E este comportamento, esta forma de estar, não se revela só na (não) frequência das praias fluviais, como também na (não) frequência de eventos sociais, musicais, culturais e desportivos.

Entende-se? Sim, claro! Afinal, os tais são os mesmos.  

 

(publicado no jornal Folha do Centro, 11 de Setembro 2015)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:28


1 comentário

De António Neves a 30.09.2015 às 00:07

Gostei deste texto, na verdade há uma certa razão no que li,
Este ano passei pelas Praias Fluviais do nosso concelho e fiquei contente por ver que estão muito melhoradas, principalmente São Gião, Avô e Alvôco.
A razão porque se vê pouca gente desta região, é apenas porque não querem ser vistas por ali, vão para outros sítios, onde não as conheçam...

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D