Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Eu sou do interior. Da beira interior.

E gosto quando o interior grita para dizer que existe, que está vivo, que tem pessoas que sabem o que querem e o que fazem.

 

Exemplos de dinamismo não faltam:

 

- A 1ª edição do Compre Local em Oliveira do Hospital, o evento deste fim de semana organizado pela ADI e pelo Munícipio Local.

- O festival da Chanfana, a decorrer na Lousã até dia 3 de Março.

- O festival da Lampreia, que aconteceu este sábado e domingo em Penacova.

- A participação conjunta na BTL por parte da Adiber, Arganil, Góis, Oliveira do Hospital e Tábua, de 27 de Fevereiro a 3 de Março, em Lisboa.

- A Feira do Queijo e Mostra de Gastronomia e Artesanato em Tábua, no próximo fim de semana.

- por fim, a Festa do Queijo da Serra da Estrela de Oliveira do Hospital, uma festa cultural, de sabores, tradições, música e desporto, com especial destaque para a maratona BTT, que tem data marcada para os dia 9 e 10 de Março.

 

E podia dar mais exemplos...

...Para dizer ao poder central que Portugal é mais do que o terreiro do paço e que o interior pela sua riqueza cultural, gastronómica e turística, merece ser olhado, em prol do futuro de um Portugal melhor e diversificado.

 

 

(opinião editada em ca$h resto z€ro/rádio, segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013, 18:30, em rádio boa nova FM 100.2 e radioboanova.com)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:55

"Grândola"

 

De memória sei que Agustina um dia disse: muita gente escreve pelo facto de não ter lido, que o que agora escreve, já foi escrito.

De memória sei que um dia alguém disse: a canção é uma arma.

Aqui partilho o que já foi escrito por outros, motivados por uma canção usada como arma de protesto.

Esta partilha, mais não é do que um manifesto do gosto em escrever o que gostava de ter sido eu a escrever, em primeiro lugar.

 

Ricardo Costa, hoje no Expresso:

«...

Mas a democracia tem regras básicas que devem ser cumpridas. E a política tem regras não escritas que estes movimentos sociais não percebem. Quanto mais radicais forem. menos apoiantes têm.E acabam sozinhos a cantar...»

 

Miguel Sousa Tavares, hoje no Expresso:

«...

Pessoalmente, acho lastimável que se ande a banalizar o «Grândola» em cada ajuntamento de cidadãos convocados pelas redes sociais. Acho lastimável os ajuntamentos e arruaças ad hominem (que, aliás, são bem piores quando feitos nas tão louvadas redes sociais). E claro que acho que todos têm direito a falar, mesmo que não tenham nada de sério para dizer. Mas, infelizmente, há muitos portugueses que pensam que a democracia não é a liberdade, mas o bem estar - e por isso é que uma maioria deles se declara "desiludidos com a democracia" (não foi por acaso que vivemos 50 anos em ditadura).

Dito isto, também não caio na onda de legitimização do ministro...por via do martírio. ...»

 

Como fazer cumprir regras numa democracia de desiludidos, falidos e confundidos?

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:46

A factura.

 

De vez em quando, à democracia, dá-lhe para se armar em ditadura.

O quando é quase sempre quando se trata de impostos. 

O Governo da nossa democracia decretou que, todo e qualquer Português que faça uma compra, tem que pedir, ou mesmo exigir, factura.

Todas as compras (e vendas), desde o café... até aos sapatos!

Todos os Portugueses, dos 8 aos 80 anos. Ou menos, ou mais, respectivamente.

É a crise a passar factura...

Quem não obedecer, se for apanhado, recebe logo a factura...da coima!

É a ditadura da factura.

Alguém acredita que um decreto assim será lei em democracia?  

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16

Pessoas de nada.

12.02.13

Tudo o que se vai contar foi visto. E ouvido. Tudo.

Se isto fosse um filme, poderia dizer que cada parágrafo seguinte é uma cena! No lado direito deste texto devia ser colocada uma bolinha vermelha. Sim, cuidado com o que vai ler a seguir!

Na frente do café, no passeio que partilhava com os outros transeuntes, uma vida que aparentava mais de cinquenta anos vividos, o sexo feminino bem vestido e, de repente, num gesto inesperado e decidido, da boca daquela mulher soltou-se uma cuspidela monumental, que aterrou nas pedras calçadas.

Duas jovens subiam a avenida, eram postais vestidos pela democratização do sempre na moda. Uma delas berrava ao telemóvel e dizia a quem a queria e não queria ouvir- presume-se que também era ouvida do outro lado da linha: «estou-me a cagar, estás a perceber? estou-me a cagar.» O sotaque tripeiro dava um colorido típico à pintura sonora.

Na manhã de inverno solarenga da foz do Porto, em frente ao mar, um homem indiferente à "multidão de fato de treino", puxou do seu indicador direito, pressionou a narina do mesmo lado e... jacto de ranho da narina esquerda para a pista das bicicletas. Acto contínuo, o indicador esquerdo, também pressionou a narina esquerda e...jacto de ranho da narina direita a voar até ao chão que alguém pisará. Nariz limpo.

Na mesma foz, onde as ondas faziam sorrisos à visita do astro-rei, uma senhora bonita, mal desenhada pela natureza, com magreza elegante, caminhava acelerada vestida numas calças de ginástica transparentes.... de onde saltava para olhos uma mini cuequinha cor de laranja fluorescente. O companheiro seguia ao lado, com óculos de sol...

A avenida da cidade grande estava cheia de carros engarrafados. Um homem sem cinto, sentado em alta cilindrada, após abrir a janela da porta do carro que lhe estava mais próxima, movimentou a cabeça para a esquerda e cuspiu…muito! Indefeso, o alcatrão, passou a exibir uma marca de outra cor, que não a sua.

Pai e filho-criança ao balcão. Jantavam. Nas cadeiras onde estavam sentados pousavam os cachecóis do clube do coração e da terra. Era noite de jogo grande. O pai, antes do jogo, ao lado do filho-criança, bebeu uma garrafa de 0,75 litros de vinho tinto do douro...até ao último golo, perdão, gole!

…que mais escrever? Nada.

 

(publicado no Jornal Folha do Centro, edição de sexta-feira, 8 de Fevereiro de 2013 )

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:42

Duas revistas. A revista Rota dos Vinhos e Sabores de Portugal e a revista Queijos, Enchidos e Vinhos.

Podiam ser as revistas das delicías de Portugal.

E que delicías...incluindo as da região centro-interior.

Exemplos:

Enchidos de Lamego; Farinheira, chouriço e paio de Seia; chouriço do Fundão; salpicão e morcela de Arganil; requeijão de Seia; Queijo Serra da Estrela; queijo de ovelha amanteigado de Seia.

Lamego, Fundão, Arganil, Seia e...

...de Oliveira do Hospital, nada? Pois, nada, rigorosamente nada.

Em Oliveira do Hospital existe uma Feira do Queijo que é um evento nacional!

Em Oliveira do Hospital existe uma Confraria do Queijo da Serra que é uma instituição!

Mas, e o negócio?

Fazer negócio com o que é nosso e nasce das nossas mãos é um verdadeiro pingo doce neste continente de crise.

 

( Resumo da opinião editada em ca$h resto z€ro/rádio, segunda-feira, 11 de Fevereiro, 18:30, em rádio boa nova FM 100.2 e em radioboanova.com )

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:34

Vamos aos números.

Segundo o Correio da Manhã, os bancos nacionais, em 2012, ganharam mais de mil milhões euros com a dívida pública

- abençoada dívida!?

Ainda segundo o Correio da Manhã, Miguel Cadilhe, um dos senadores e reserva moral da nação, quando aceitou ser Presidente do BPN, exigiu receber em antecipado a sua reforma: mais de 10 milhões de euros.

- como deve ter ter ficado aborrecido o ministro Gaspar!?

A dívida das estradas de Portugal agravou-se, em 2012, em 320 milhões de euros. A receita fiscal ficou, em 2012, 600 milhões de euros abaixo da previsão do ministério das finanças.

- deve ser a "isto" que se chama ajustamento!?

Lê-se nos jornais que o maior banqueiro Português corrigiu a sua declaração de rendimentos de 2011... 3 vezes!...consequência do esquecimento de não ter declarado mais de 8 milhões de euros de rendimento.

- acontece!? A quem tem rendimentos...assim.

O número de desempregados licenciados em Portugal já iguala o número de desempregados  com apenas quatro anos de escolaridade.

- novas oportunidades!?

 

Agora as percentagens.

Segundo o Expresso (Miguel Sousa Tavares), 22% dos Portugueses confiam no seu governo e nos deputados. Na Suécia a confiança ronda os 60 e os 70%, respectivamente.

- ainda que sem a nossa confiança, o poder político cauciona vagas sucessivas de austeridade e indignidade, com resultados tenebrosos para muitos e com proveitos volumosos para poucos...e não faltam exemplos!?

Em Espanha, um senhor chamado Bárcenas, um dia chegou ao PP para ser funcionário administrativo... de sapatos rotos! Controlou as contas do Partido durante mais de trinta anos. Chegou a ter 22 milhões de euros na sua conta pessoal, na Suiça.

- ganhos «honradamente», diz ele!? 

Conforme se divulga no blogue Massa Monetária (Nuno Aguiar), na Grécia, um inquérito realizado por uma confederação empresarial de PME  revela que:

 

- 90% das famílias gregas sofreram um corte de rendimento de, pelo menos, 38% desde 2009.

- Metade tiveram de pedir dinheiro emprestado a amigos ou família em 2012.

- Para 40% dos agregados familiares, as pensões ou prestações sociais são agora a principal fonte de rendimento.

- Um em cada dez agregados familiares tem pelo menos uma pessoa desempregada.

- 90% dos inquiridos tiveram de cortar em roupa, calçado e actividades de lazer.

- 80% gasta agora menos em transportes e aquecimento.

- 40% não consegue cumprir as suas obrigações financeiras a tempo e, destes, 61% diz que os impostos são o principal problema.

- Metade diz que se for mais barato prefere não pedir factura.

 - é este o "quadro" Grego,  após seis anos consecutivos de recessão e uma previsão de 24% de desemprego para este ano.

 

Ás vezes, tantas vezes, números e percentagens valem mais do que mil palavras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:32

A Agenda do Cidadão - 2013, editada pela Junta de Freguesia de Oliveira do Hospital, é uma iniciativa positiva.

Para além de recuperar o culto do objecto, agora que tudo é digital, é útil ao saber (por exemplo, consultar o nome de quem desenhou o Cavaleiro) e ao lazer: ali se encontram os registos dos acontecimentos do ano no concelho, o que permite aderir a uma certa ideia de planeamento.

Ao desfolhar a agenda fica-se a saber quem-é-quem no concelho, no ensino, na cultura, no desporto e podemos saltar do poema «Aquela Velha Tileira» para a data dos 75 anos(!) do Futebol Clube de Oliveira do Hospital, a 7 de Julho.

Bom design gráfico, de fácil consulta e fácil manuseamento.

Está de parabéns a Junta de Freguesia liderada por Nuno Oliveira... e o cidadão de Oliveira do Hospital- já tem agenda para 2013.

 

(resumo da opinião editada semanalmente em ca$h resto z€ro/rádio, segunda-feira, 4 de Fevereiro de 2013, 18:30 em rádio boa nova FM 100.2 e em www.radioboanova.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:19

Américo Amorim

 

«Alterava já a Constituição da República Portuguesa.....

Não sei se é possível. Mas é desejável.

Tal como não se pode viver sem democracia, também não se pode gastar de uma forma desmesurada.

Não podemos viver sem controlo de custos e sem conhecer a rentabilidade das coisas, mesmo que eu defenda que há investimentos públicos que devem ser feitos para o bem social, mas não na intensidade que se fez em Portugal.

Obras públicas sem controlo como as que forma feitas.

É preciso conhecer os custos e fomentar a concorrência entre as empresas que têm interesse em efectuar essas obras.

Temos que ter concorrência. Competição. Cadernos de encragos transparentes.

Precisamos de saber quanto custam os erros e as omissões.

Precisamos de ter concursos correctos.» 

 

Expresso Economia, 2 de Fevereiro de 2013

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:44

Paulo Júlio, o autarca empreendedor de Penela e do PSD, que depois de mandato e meio foi para Lisboa para ser o Secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa e que para a história ficará como o homem que encurtou o número de freguesias, demitiu-se.

O ministro Relvas, aceitou a demissão. Passos, o Primeiro, também. O DIAP "suspeita" que Paulo Júlio favoreceu um primo num concurso para um lugar na divisão administrativa da Câmara de Penela.

Outra vez o poder local, o poder autárquico, a ter que recorrer ao «alegadamente», essa palavra supostamente milagrosa, mas que não apaga mais uma má fotografia da política: - Assim, não há ponta de credibilidade que resista, Senhores!!!

Será que a "indignação das freguesias" apagadas do mapa, teve alguma coisa que ver com o súbito surgir desta "suspeita"?

 

Anda num virote a vida dos Secretários de Estado deste governo, com destaque para os da Economia e Agricultura, os mega-ministérios.

Num instante saíram seis. Noutro instante entraram sete.

Bem parodiou Luís Afonso no seu SA do Jornal de Negócios: pedimos desculpa pela interrupção, a redução do peso do estado segue dentro de momentos.

 

(resumo do ca$h resto z€ro/rádio, opiniões emitidas ás 18:30 de 25 de Janeiro, sexta-feira; de 28 de Janeiro, segunda-feira e de 1 de Fevereiro de 2013, sexta-feira, na rádio boa nova FM 100.2 e www.radioboanova.com. A partir desta data, o ca$h resto z€ro/rádio passa a ter edição à segunda-feira, 18:30)   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:56


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Fevereiro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D